A diversidade de corpos e sua influência no mercado de beleza

O mercado de beleza está acordando para abraçar a diversidade de corpos, mas temos um longo caminho a percorrer. Quer saber como tudo começou e duas marcas que seguem esse pensamento? Venha ler mais!

Por: @BelaHachi

Quando falamos em corpo, cada pessoa tem uma imagem que vem à cabeça, isso porque a diversidade corporal é algo existente e presente no dia-a-dia de todos.

Sabe aquela história de “beleza é relativo”, ou seja, o que é bonito para você, não necessariamente é para o outro? É por aí, o que é um padrão imagético seu, não obrigatoriamente será o de outras pessoas, o que é incrível, uma vez que existem milhares de tipos de corpo, cores de cabelo, tonalidades de peles e combinações de características, que garantem que cada indivíduo seja único.

Mas quando vamos falar de beleza, de maquiagem, como podemos atender todos se cada um é um? Bom, isso não era um problema até alguns anos atrás, já que a indústria cosmética decidiu que o importante seria atender ao padrão - nem preciso dizer que as peles mais claras foram as privilegiadas aqui.

Sendo assim, todo um mercado multimilionário foi criado baseado em fórmulas desenvolvidas para peles claras - olha uma curiosidade aqui, sabia que até a câmera foi criada para gravar pessoa brancas? Pois é, fique tranquile, te contarei essa história em um próximo texto.

Anos e anos de ditadura da beleza com peles negras recebendo apenas duas tonalidades em coleções de bases - quando isso - até que um BUM mundial aconteceu. Em 2017, Rihanna,

lançou sua marca de maquiagem, Fenty Beauty, com produtos incríveis, mas o que chocou todos foi uma coisa além da qualidade de seus iluminadores e bastões de contorno.

A base da marca foi lançada com 40 tonalidades, desde um branco fair, passando por uma grande variedade de tons e subtons, até chegar nas tonalidades de peles negras.

Falando isso agora, parece tão óbvio, maquiagem que abraça a diversidade, bases para todos - homens, mulheres, não binários, enfim - mas o mundo da beleza levou uma sacudida e acordou.

A Fenty Beauty fez com que as pessoas não aceitassem 12 shades de base e corretivo - sendo 8 brancas e 4 negras - e não achassem mais esse cenário normal. Claro, ainda estamos muito longe de ter uma beleza inclusiva e diversa, mas cada passo conta.

Sabendo disso, eu trouxe também uma marca brasileira que olhou para a diversidade e desenvolveu bases para peles negras, com fórmulas que abraçassem essas peles.

A marca Negra Rosa, fundada por Rosangela da Silva e sua sócia, conta com um processo de desenvolvimento, desde a fórmula até o marketing, pensado e especializado para mulheres negras. Esta lançou sua base com 5 tonalidades em 2017 e se expande cada vez mais, trazendo mais opções para as brasileiras e abraçando a diversidade.