Tempo é dinheiro! Será?

Nos dias atuais, nos quais tudo está conectado e tudo é para ontem, quão bom é ter... tempo?

O que eu realmente quero dizer com tudo isso, e o que eu aprendi na minha trajetória atual, é que, SIM é possível a gente priorizar coisas que de fato importam pra nós

Por: @caioibitinga

Fui questionado sobre o que significava pra mim o luxo, o que era, o que ele representava, onde eu o enxergava e reconhecia. De fato cheguei a algumas conclusões, porém uma me saltou aos pensamentos. Luxo para mim, no final do dia, era ter tempo! Algo que, atualmente,  acabamos por não ter.

Explicando melhor, o porquê dessa conclusão, acho que é legal antes escrever um pouco sobre mim (até porque, essa é a minha primeira conversa com vocês por aqui!), o que dentre várias ocupações e facetas, reconhece o tempo como artigo de luxo. Certamente falarei em outros textos sobre outros Caios, com significados diferentes para o conceito Luxo. Mas vamos lá...

Esse Caio que vos fala, é o surfista, 28 anos, entusiasta de um monte de esportes, que curte natureza e trecos feitos por ele mesmo. E por que esse cara reconhece o tempo como maior artigo de luxo? Simples, quanto + tempo eu tiver para realizar essas atividades, mais feliz eu serei. Logo, + tempo =  mais felicidade! E não é que de fato, fica cada dia mais difícil ter esse tal de tempo?

Lembra como era irado quando o tempo voava e você nem se ligava em nada além de se divertir? Eu, às vezes, me esqueço, e é por isso que hoje em dia, em meio a uma vida totalmente caótica, dou tanto valor ao poder de escolha que o tempo traz. Poder desfrutar de um final de semana todo sem o celular -  e isso acontece mesmo - poder desencanar de responder e-mail e whatssApp, e outras atitudes que te desconectam do externo, e te conectam com o interno.

 Luxo mesmo pra mim foi ficar quase 30 dias em Bali no ano passado sem comprar um chip de internet da operadora local!! Obviamente que de vez em quando dava uma escapada pro Wi-fi, para falar com a família, atualizar os amigos da viagem, e SÓ! Falando nisso, vou colocar até umas fotos de lá.

 














Engraçado é que tem tanta gente no mundo que foi em busca de ter esse tal de tempo, que muitas vezes a gente esbarra nelas sem querer! Uma delas foi o meu brother, e dono do hostel que fiquei hospedado lá, o Alemão (@ricardo_boturao - @casamarbali). Esse cara largou tudo que tinha aqui em São Paulo e se jogou pra lá. Hoje tem uma vida bem movimentada, porém sempre que quer, vai curtir um pôr do sol irado no Sunset Point – se não for o mais, um dos mais fantásticos

que já vi na vida! Se liga na foto também...)

Pô, mas ai fica fácil né! Bali, tempo, praia, surfe...qualquer um é feliz assim! Não é bem isso eu quis dizer...

O que eu realmente quero dizer com tudo isso, e o que eu aprendi na minha trajetória atual, é que, SIM é possível a gente priorizar coisas que de fato importam pra nós, atividades e atitudes que façam diferença positiva na nossa rotina, que nos conectem com aquela criança do passado, e que inclusive nos ajudem a caminhar em direção aos objetivos e sonhos do adulto que você se tornou. No final das contas, não tem nada a ver com o local que você está, se é em um local turístico paradisíaco, ou uma grande cidade, mas sim como você encara sua rotina, e o quanto se está disposto a mudá-la, para alcançar sua plenitude espiritual, energética e mental.












Após essa reflexão, ficou muito claro que o único recurso de vida que temos realmente escasso, é o tempo, e que tem apenas 2 dias na sua vida que você não tem controle nenhum, o ontem e o amanhã! Viva